VASINHOS NO ROSTO - TELANGIECTASIA

Webnode
20/03/2012 12:05

TELANGIECTASIA - VASINHOS NO ROSTO: Quem tem pele clara sabe como é preciso ficar atenta aos efeitos do sol para evitar marcas e manchas na pele, mesmo quando ele não é a causa direta. De dentro para fora, problemas de circulação provocam danos estéticos, com os vasinhos do rosto, mais comuns ao redor dos olhos e nariz que, sob ação do astro-rei, comprometem ainda mais a saúde e beleza das cútis mais branquinhas.  O problema, causado pela dilatação capilar, é chamado de telangiectasia, inchaço dos microvasos ramificados pela região da face, que deixam a pele mais frágil e avermelhada. Muito comum em pessoas de pele clara como resultado do aumento da pressão sanguínea, Porém, o problema não é exclusivo deste biotipo, mas os vasinhos ficam mais evidentes em pessoas com este perfil. Por isso, peles clarinhas  pedem cuidados redobrados.

Diferentes dos vasinhos das pernas (estes das pernas aparecem porque o sangue fica parado), os vasinhos do rosto são mais superficiais, resultado do choque entre sangue arterial e o sangue venoso (com e sem oxigênio). O mais comum é que se formem por meio de doenças como a hipertensão e a quimioterapia e, nas mulheres, durante a gestação. Suas origens, porém, são diversas e podem, sim, estar associadas ao uso indevido de substâncias presentes nos cosméticos.

O aparecimento desses vasinhos, por exemplo, pode ser provocado pelo uso de ácidos, como o retinóico, utilizado no combate ao envelhecimento por pessoas com pré-disposição à telangectasias e rosácea - doença que provoca pequenas lesões sobre a pele. Como o problema piora com o sol, quem têm predisposição deve abusar do protetor solar e evitar a exposição direta. A maioria dos produtos disponíveis no mercado cosmético, como a base e hidratantes faciais,  já possui  o bloqueador solar  como método preventivo.

Tratamento:

Quem já sofre com os vasinhos no rosto, conta com algumas soluções disponíveis no mercado. As mais comuns são a cauterização, a fulguração (aplicação de medicamentos por agulhas), escleroterapia (aplicações também feitas nas pernas) e o laser (seja diodo ou luz intensa pulsada). Antes, porém, de se submeter a qualquer tratamento, cada caso deve ser cuidadosamente analisado por um dermatologista, já que alguns métodos têm contra-indicações.

O uso do laser, por exemplo, é bastante usual, pois não é doloroso. Após as sessões, recomenda-se a aplicação de cremes coadjuvantes e filtros solares. Assim, o rosto adquire uma coloração mais clara, perdendo a face congestionada. Contraindicado para pacientes grávidas, com diabetes descompensado, distúrbios de coagulação, infecção no local das manchas ou alergia a medicações.

Fonte: www.suapele.terra.com.br

    

Webnode